Novidades
Previous
Next

Indicadores: A união entre TI e negócios para medir o sucesso 

Um tema de suma importância no âmbito da gestão empresarial é o uso de indicadores. Especificamente, como podemos unir as esferas de Tecnologia da Informação (TI) e Negócios para conceber indicadores que verdadeiramente reflitam o êxito da organização como um todo. 

Tradicionalmente, os indicadores eram predominantemente voltados para a área de TI. Métricas como tempo de resposta, tempo de atividade e disponibilidade de sistemas eram utilizadas para aferir o desempenho tecnológico. No entanto, com a evolução do cenário empresarial e a crescente adoção da hiperautomação nos negócios, tornou-se imperativo adotar uma visão mais abrangente e integrada. 

Atualmente, mais do que nunca, os indicadores devem refletir a sinergia entre TI e Negócios. Devem ser capazes de mensurar o impacto das iniciativas tecnológicas nos resultados globais da organização, considerando não apenas aspectos técnicos, mas também o valor entregue aos clientes e o impacto financeiro. Eis algumas reflexões fundamentais sobre esse tema: 

Alinhamento Estratégico: Os indicadores precisam estar alinhados com a estratégia de negócios da organização. Devem refletir os objetivos e metas estabelecidos, proporcionando insights claros sobre como a tecnologia contribui para o êxito global. 

Valor para o Cliente: Além de medir aspectos técnicos, como tempo de resposta e disponibilidade, é essencial avaliar o valor entregue ao cliente. Métricas de satisfação do cliente, experiência do usuário e outros fatores que impactam a percepção de valor devem ser considerados. 

Impacto Financeiro: Os indicadores devem refletir o impacto financeiro das iniciativas de TI. Métricas como o Retorno sobre o Investimento (ROI), redução de custos operacionais, aumento de receita e eficiência financeira ajudam a mensurar o valor real gerado pelos investimentos em tecnologia. 

Eficiência Operacional: Avaliar a eficiência e a produtividade da organização é crucial. Métricas relacionadas ao tempo de ciclo, taxa de erro, produtividade por colaborador e eficiência dos processos ajudam a identificar oportunidades de melhoria e otimização. 

Aprendizado e Inovação: Considerem-se indicadores que reflitam a capacidade da organização de aprender e inovar. Métricas relacionadas a projetos de inovação, adoção de novas tecnologias, desenvolvimento de talentos e cultura de inovação auxiliam a medir a agilidade e a adaptabilidade da empresa. 

Artigo escrito por Graziele Rossato, CEO da ViaFlow. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.