Novidades
Previous
Next

ANEFAC reforça as boas práticas de governança do Troféu Transparência 

Com os fatores ESG (Environmental, Social and Governance) definindo cada vez mais os rumos dos negócios do futuro, após 25 anos, acompanhando as transformações do mundo e do Brasil, a ANEFAC reforça e fortalece as boas práticas de governança corporativa do Troféu Transparência em 2022. O Prêmio ao longo de toda a sua existência tem buscado incentivar a transparência das empresas no que diz respeito a divulgação das suas informações por meio das demonstrações financeiras.  

Para Marta Pelucio, presidente nacional da ANEFAC, o surgimento do Troféu Transparência marcou o mercado brasileiro, definitivamente, como um diferencial que passou a nortear todas as empresas. “Foi um passo no reconhecimento do trabalho dos profissionais e um incentivo ao aprimoramento das demonstrações financeiras e da transparência nas empresas. E, agora, diante das transformações advindas do ESG e da tecnologia chegou o momento de o Prêmio dar esse importante passo ao reforço das suas próprias boas práticas de governança”, diz. 

A premiação, reforçada pela credibilidade da entidade e pela busca da transparência corporativa no atual cenário do Brasil e do mundo, se torna ainda mais relevante.  “Hoje, o Troféu Transparência é uma referência para o mercado e para muitas empresas, é o auge de sua excelência contábil. Muitas encaram como o “Oscar da Contabilidade. São empresas que estão preocupadas com a prestação de contas para a sociedade e entendem que participar e ganhar o Prêmio é um reconhecimento dos esforços feitos para atingir este objetivo. Por isso, nós estamos sempre procurando evoluir e trazer inovações aos nossos processos de avaliação, justamente para atender essa necessidade do mercado, razão pela qual o Prêmio existe”, explica Clóvis Ailton Madeira, conselheiro da ANEFAC e coordenador do Comitê Técnico do Prêmio. 

É importante lembrar que a ANEFAC, detentora da marca “Troféu Transparência”, é ativa na preservação do propósito dessa premiação e ao mesmo tempo ávida por aperfeiçoar o que já é um sucesso, inicia um novo capítulo na história desse consagrado Prêmio. 

Desde 1997, quando o Prêmio nasceu, a ANEFAC sempre promoveu constantes e importantes atualizações no seu desenvolvimento, aperfeiçoando os critérios de avaliação, a comissão julgadora e a divisão das categorias, mas sem alterar a sua essência.  

“A ANEFAC está inovando e trazendo para o Prêmio um olhar ampliado para absorver novos temas normativos e regulatórios, as boas práticas de governança corporativa e a geração de informações sociais e ambientais (ESG). O regulamento e os critérios de avaliação continuarão com o mesmo elevado nível técnico de sempre preservando o que foi feito ao longo dos anos”, avalia Pelucio. 

Pontos importantes que serão avaliados nas demonstrações financeiras são a consonância do Relatório de Administração com todas as demais informações, a clareza e inclusão de informações adicionais, as ações de integração com a comunidade, a preocupação com o meio ambiente e ações de sustentabilidade, relacionamento com os seus stakeholders, gerenciamento da sua governança corporativa, políticas e comitês entre outros.  

Buscando aprimorar a sua própria governança corporativa e a melhoria dos seus processos, a inclusão de novas parcerias acabou sendo algo natural para a ANEFAC. Durante todos esses anos, a responsável técnica pela avaliação das ganhadoras do Troféu Transparência foi a Fipecafi. Neste momento, novos e importantes parceiros chegam para somar ao grupo de avaliadores técnicos.    

Com o mesmo rigor técnico adotado nos últimos 25 anos e com a participação de especialistas renomados e de grande saber, o fluxo de avaliação das demonstrações financeiras ganhadoras do Troféu Transparência, dentro da estrutura organizacional da ANEFAC, a partir de 2022, começará com a Diretoria Executiva do Prêmio, passará para o Comitê Técnico, depois para o Comitê Acadêmico e, por último, para a Comissão Julgadora.  

Diretoria Executiva: composta pelos membros da ANEFAC, Marta Pelucio, presidente nacional, Luciana Bacci, vice-presidente de governança, Antonio Carlos Machado, presidente do Conselho de Administração, Bolí Rosales, superintendente, Carlos Matavelli, conselheiro, e David Kallas, vice-presidente de administração.  

Comitê Técnico: Clóvis Ailton Madeira, conselheiro da ANEFAC (coordenador), Rosana Gonçalves e Fabiano Lima, da USP-Ribeirão Preto, Cecilia Geron, do Mackenzie, Fabiana Lopes, da Fipecafi, Pier Paolo, do mercado, e Vera Ponte, da Universidade Federal do Ceará (UFC). 

Avaliação Técnica: FECAP: Ahmed Sameer El Khatib (coordenador), Allan Silva de Carvalho, Bruno Dias De Melo, Edna Yayoi Hirakawa Goto, Leandro Bryk, Anderson da Silva Pinto, Eudes Martins de Araújo, Lincoln de Jesus Peres, Ricardo de Oliveira Prado, Francisco Ferreira Diniz, Rafael Pascoto Fugimoto e Tiago Nascimento Borges Slavov (professores). 

Comissão Avaliadora: Pedro Farah, conselheiro da ANEFAC (coordenador), Amaro Gomes, mercado, Eric Martins, do Insper, Vania Borgerth, da Fucape, e Alexandre Sanches Garcia, da FECAP. 

Entre os critérios de seleção estarão: qualidade e grau das informações contidas nas demonstrações financeiras e notas explicativas; transparência das informações prestadas; clareza do Relatório de Administração e sua consistência com as informações divulgadas; aderência integral às Normas Contábeis; não apresentar modificações (ressalvas) no relatório dos auditores independentes; apresentação da divulgação quanto a layout, legibilidade, concisão, clareza etc.; divulgação de aspectos relevantes, mesmo que não exigidos legalmente, mas importantes para o negócio como: EBITDA, valor econômico agregado, relatório de sustentabilidade, etc. 

A ANEFAC é uma entidade com 54 anos de história e sempre, desde a 1ª edição do Troféu Transparência, tem a responsabilidade de preservar a lisura no processo de escolha das empresas premiadas, trabalhando com muita seriedade na revisão crítica das demonstrações financeiras divulgadas e respeitando a forma exigida pela legislação societária e pelo mercado. 

“O Prêmio está em consonância com a aderência aos Princípios Fundamentais de Contabilidade, que é uma regra básica, bem como com a incorporação de inovações que visam ampliar a transparência em prol dos stakeholders que é extremamente valorizada, assim como a importância de apresentação de um Relatório de Administração de alto nível”, finaliza Madeira. 

Marta Pelucio, presidente nacional da ANEFAC e sócia na Praesum Contabilidade
Marta Pelucio, presidente nacional da ANEFAC e sócia na Praesum Contabilidade
Clóvis Ailton Madeira, conselheiro da ANEFAC e coordenador do Comitê Técnico do Prêmio
Clóvis Ailton Madeira, conselheiro da ANEFAC e coordenador do Comitê Técnico do Prêmio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.