Previous
Next

Área penal empresarial – proteção de dados digitais: Os crimes de extorsão digital e o sequestro de dados

O cenário de ameaças cibernéticas evolui rapidamente, representando uma crescente preocupação para empresas em todo o mundo, incluindo as brasileiras. O sequestro de dados (ransomware) e a extorsão cibernética tornaram-se estratégias lucrativas para criminosos digitais, exigindo que as organizações adotem medidas proativas para proteger seus ativos digitais e mitigar riscos.

O combate eficaz ao sequestro de dados e extorsão requer uma abordagem multidimensional. As empresas devem continuar a evoluir suas estratégias de segurança cibernética para enfrentar ameaças cada vez mais sofisticadas. Além disso, a colaboração entre o setor privado, agências governamentais e especialistas em segurança é crucial para construir uma defesa robusta contra cibercriminosos.

Em um ambiente digital em constante mutação, a cibersegurança tornou-se uma prioridade inegável para as empresas brasileiras. O investimento contínuo em tecnologia, treinamento e colaboração é essencial para proteger não apenas os ativos digitais, mas também a resiliência e a reputação das organizações diante das crescentes ameaças cibernéticas.

Sequestro de Dados (Ransomware) em Empresas:

1. Alvos Corporativos:

• Empresas de todos os tamanhos e setores têm sido alvos frequentes de ataques de ransomware. Criminosos visam organizações que dependem fortemente de dados e sistemas digitais.

2. Maior Complexidade:

• Os ataques de ransomware tornaram-se mais sofisticados, com criminosos adaptando suas táticas para contornar as medidas tradicionais de segurança.

3. Demanda de Resgates Significativos:

• Empresas muitas vezes são alvo de resgates mais altos devido à sensibilidade dos dados corporativos e à urgência de restaurar operações.

4. Prejuízos Financeiros e Reputacionais:

• Além do custo do resgate, as empresas enfrentam prejuízos financeiros

relacionados à interrupção das operações e recuperação de dados. A reputação também pode ser severamente afetada.

Extorsão de Valores em Ambiente Empresarial:

1. Chantagem e Ameaças:

• Empresas podem ser alvo de extorsão online por meio de ameaças de vazamento de informações confidenciais, propriedade intelectual ou dados sensíveis de clientes.

2. Ataques Direcionados:

• Criminosos podem conduzir ataques direcionados, como o vazamento de dados corporativos, e exigir pagamentos sob ameaça de prejudicar a reputação da empresa.

3. Ameaças de Ataques Cibernéticos:

• Empresas podem ser alvo de ameaças de ataques cibernéticos, onde os criminosos exigem pagamentos para evitar a interrupção de serviços ou a divulgação de informações.

4. Proteção de Propriedade Intelectual:

• Empresas que possuem propriedade intelectual valiosa podem ser alvo de extorsão para evitar a divulgação não autorizada ou para recuperar informações roubadas.

Medidas de Segurança para Empresas:

1. Políticas de Segurança Corporativa:

• Desenvolver e implementar políticas de segurança cibernética abrangentes que abordem ameaças específicas e promovam uma cultura de segurança.

2. Treinamento e Conscientização:

• Educar funcionários sobre práticas seguras online, reconhecimento de ameaças e como relatar incidentes de segurança.

3. Backup e Recuperação de Dados:

• Realizar backups regulares de dados críticos e desenvolver planos de recuperação para minimizar o impacto em caso de ataque.

4. Atualizações e Patches:

• Manter todos os sistemas, software e aplicativos atualizados para corrigir vulnerabilidades conhecidas.

5. Monitoramento de Rede:

• Implementar sistemas de monitoramento de rede para detectar atividades suspeitas e responder rapidamente a incidentes.

6. Ferramentas de Segurança Avançadas:

• Utilizar soluções avançadas de segurança cibernética, como firewallsantivírus, sistemas de detecção de intrusões e prevenção de ameaças avançadas (ATP).

7. Colaboração Externa:

• Colaborar com especialistas em segurança cibernética, agências governamentais e organizações do setor para compartilhar informações sobre ameaças e melhores práticas de segurança.

8. Resposta a Incidentes:

• Desenvolver planos de resposta a incidentes claros e realizar simulações regulares para garantir uma resposta eficaz em caso de ataque.

A Ascensão do Ransomware no Brasil 

Nos últimos anos, observamos um aumento alarmante nos casos de ransomware direcionados a empresas brasileiras. Esses ataques, muitas vezes perpetrados por grupos cibercriminosos especializados, visam paralisar operações, causar prejuízos financeiros substanciais e exigir resgates em criptomoedas para a restauração dos dados.

Desafios Únicos no Cenário Empresarial Brasileiro:

1. Setores Estratégicos Sob Ameaça:

• Setores críticos, como saúde, serviços públicos e infraestrutura, estão sob ameaça, destacando a necessidade de medidas robustas de segurança cibernética.

2. Custo Financeiro e Reputacional:

• Além dos resgates exigidos, as empresas enfrentam custos significativos associados à interrupção de operações, recuperação de dados e impactos na reputação.

Extorsão de Valores: Uma Nova Frente de Ameaça

Além do ransomware, a extorsão de valores tornou-se uma tática comum de cibercriminosos. Ameaças de vazamento de informações confidenciais, propriedade intelectual e dados sensíveis têm levado empresas a situações de chantagem digital, exigindo pagamentos para evitar consequências prejudiciais.

Tendências Atuais em Ataques Cibernéticos no Brasil

Nos últimos anos, observamos um aumento significativo nos casos de sequestro de dados e extorsão cibernética no Brasil. Empresas de diversos setores têm sido alvo, enfrentando não apenas prejuízos financeiros, mas também danos à reputação e perda de confiança dos clientes. Os setores mais visados incluem serviços financeiros, saúde e infraestrutura crítica.

Desafios Específicos para Empresas Brasileiras

1. Diversidade de Ameaças:

Criminosos cibernéticos empregam uma variedade de táticas, desde ataques de phishing até exploração de vulnerabilidades em sistemas desatualizados. As empresas brasileiras precisam enfrentar uma gama diversificada de ameaças.

2. Vulnerabilidades em Setores Críticos:

Setores considerados críticos, como saúde e infraestrutura, tornaram-se alvos proeminentes. O impacto desses ataques vai além dos prejuízos financeiros, afetando diretamente a prestação de serviços essenciais à sociedade.

3. Necessidade de Conformidade:

Empresas brasileiras lidam não apenas com a necessidade de proteger seus dados, mas também com as regulamentações locais e internacionais de proteção de dados, aumentando a complexidade das estratégias de segurança.

Estratégias de Segurança Cibernética para Empresas

1. Políticas de Segurança Abrangentes:

Desenvolver e implementar políticas de segurança cibernética abrangentes que abordem as ameaças específicas enfrentadas pelas empresas brasileiras. Isso inclui protocolos claros para lidar com incidentes de segurança.

2. Investimentos em Treinamento e Conscientização:

Educar os funcionários sobre práticas seguras online, reconhecimento de ameaças cibernéticas e a importância da segurança cibernética para a empresa como um todo.

3. Backup e Recuperação de Dados:

Implementar estratégias de backup regulares para garantir a recuperação eficiente de dados em caso de ataque. Testar regularmente os procedimentos de recuperação para garantir eficácia.

4. Atualizações e Patching Constantes:

Manter sistemas, software e aplicativos atualizados para corrigir vulnerabilidades conhecidas e reduzir a superfície de ataque.

5. Monitoramento Proativo:

Implementar sistemas de monitoramento de rede para detectar atividades suspeitas e responder rapidamente a incidentes antes que causem danos substanciais.

6. Colaboração Externa:

Colaborar com especialistas em segurança cibernética, agências governamentais e organizações do setor para compartilhar informações sobre ameaças e melhores práticas de segurança. Ataques de ransomware têm aumentado em escala global nos últimos anos, afetando diversas organizações, desde grandes corporações até pequenas empresas e usuários individuais.

Setores Alvo:

Setores críticos, como saúde, governo, educação e serviços públicos, frequentemente são alvos de ataques de ransomware devido à sua importância e sensibilidade dos dados.

Crescimento de Resgates:

Os valores dos resgates exigidos têm aumentado, e os criminosos frequentemente demandam pagamento em criptomoedas para dificultar o rastreamento financeiro.

Variedade de Vetores de Ataque:

Além de ataques diretos, a disseminação de ransomware muitas vezes ocorre por meio de vulnerabilidades em sistemas não atualizados e através de e-mails de phishing.

Extorsão de Valores:

Ameaças Diversificadas:

A extorsão online é realizada por meio de diversas táticas, incluindo ameaças de divulgação de informações pessoais, chantagem, ou alegações falsas de crimes.

Crescimento de Crimes Cibernéticos:

Com o aumento da conectividade digital, crimes de extorsão online têm crescido, explorando a vulnerabilidade de indivíduos e organizações na era digital.

Variação de Alvos:

Alvos da extorsão incluem desde indivíduos comuns até empresas de grande porte. Muitas vezes, a ameaça é direcionada a obter pagamentos em criptomoedas.

Ameaças e Vazamentos:

Ameaças de vazamento de dados ou informações pessoais são comuns nas tentativas de extorsão online, com criminosos buscando lucro através do medo ou constrangimento. É importante ressaltar que as estatísticas e métricas específicas podem variar ao longo do tempo, e a evolução das tecnologias e táticas criminosas pode influenciar esses números.

O quadro comparativo abaixo, destaca os aspectos principais relacionados aos crimes de sequestro de dados (ransomware) e extorsão de valores, bem como as medidas de segurança recomendadas para prevenção e mitigação desses crimes. A implementação de uma abordagem abrangente de segurança cibernética é essencial para proteger organizações e indivíduos contra essas ameaças.

Conclusão: Desafios Superados pela Resiliência Digital

Em meio às ameaças crescentes de sequestro de dados e extorsão empresarial, as organizações brasileiras estão diante de um desafio urgente, mas também têm a oportunidade de fortalecer suas defesas cibernéticas. A conscientização, colaboração e investimentos estratégicos são os pilares para superar essas ameaças.

Ao encarar o aumento de ataques de ransomware e extorsão de valores, as empresas devem reconhecer a importância de uma cultura organizacional focada na segurança digital. Isso não apenas requer tecnologias avançadas, mas também um compromisso constante com a educação e treinamento dos funcionários.

A colaboração, tanto dentro do setor privado quanto entre as esferas governamentais, torna-se um ponto crucial para compartilhar informações sobre ameaças e desenvolver estratégias eficazes de prevenção e resposta.

Juntos, setor privado, governo e especialistas em segurança cibernética podem criar um ambiente mais resiliente contra os cibercriminosos. Em última análise, a cibersegurança não é apenas uma necessidade técnica, mas uma salvaguarda essencial para o sucesso e a continuidade dos negócios no mundo digital. Ao enfrentar as complexidades do cenário atual, as empresas brasileiras têm a oportunidade não apenas de se defender contra ameaças, mas de liderar o caminho para uma resiliência digital sustentável.

O investimento em segurança cibernética não é apenas uma precaução; é uma estratégia fundamental para o futuro corporativo no mundo digital em constante evolução.

A Comissão de Direito Digital (CCDD) do Senado Federal aprovou, recentemente, o projeto de Lei 1.049/22, que tipifica o crime de extorsão digital, conhecido como sequestro de dados.

O projeto qualifica o crime como quem sequestra o computador da vítima e cobra um valor em dinheiro pelo resgate. Com o projeto, o crime de extorsão digital é inserido no Código Penal (Decreto Lei 2.848, de 1940) e descrito como “a prática de invadir computadores e celulares e bloquear seu acesso aos proprietários, constrangendo-os a fazer ou deixar que se faça algo”. Fonte: Senado Federal PL 1049/22 

Artigo escrito por Ronaldo Correa Martins, CEO, e Mario José Benedetti, sócio responsável pela área Penal Empresarial, ambos do Escritório Ronaldo Martins & Advogados

Ronaldo Correa Martins, CEO
Mario José Benedetti, sócio responsável pela área Penal Empresarial

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.